URGENTE: Precisamos de doações para pagar o DOMÍNIO e HOSPEDAGEM do Projeto Jogatina.
Qualquer valor é válido!
Para mais informações escrevam para doacoes@projetojogatina.org

Projeto Jogatina

Jogatina
vitoriosa

A jogatina da esforra
Xenoblade Chronicles X (WIIU)
Por Bispo Snake
• Criada em 16 de fevereiro de 2016
• Essa jogatina já foi visitada 606 vezes.


    Screenshot contruibuído por um membro do projeto.

    Eles fizeram o possível e o impossível, e continuam fazendo, para que eu tenha uma vida de merda. Mercado, gasolina, impostos. E claro, também roubaram meus games de mim, pois isso é artigo de luxo, de gente rica, estudada, e gente de luxo merece pagar pelos outros que vivem nas sombras da pobreza e ostracismo, todos coitadinhos. Mas quer saber? Eu descolei uma cópia desse jogo pra mim mesmo assim, sabendo que vai fazer uma falta de grana do caralho. Que se dane. E vai rolar Zelda também até o fim do ano.

    25 comentários para
    A jogatina da esforra

    1. Esse abaixo foi o pequeno monstrinho derrotado por nós em um dos tutoriais. O jogo é inacreditavelmente grande, cheio de coisa pra se fazer. Maior que um WoW, só que offline. Tenho algumas quests, ainda estou apanhando num monstro igual esse só que com nível mais alto, a quest principal requer que eu vá instalar algumas sondas para mapeamento do ambiente e vasculhar algumas cavernas que ainda não foram reconhecidas. Também estou me familiarizando com o mapa no gamepad... Não é só um mapa, tem bastante coisa nele pra se usar, fast travel, marcador de quests (não consegui mostrar o mapa na tela da tv, só gamepad mesmo até agora), etc.



      Vamo que vamo.
    2. Mais alguns screenshots abaixo. Eu estou para entrar no capítulo 4 da história, só que ainda estou fazendo várias side-quests. Esse jogo é descomunalmente grande mesmo, e para avançar na história, existem alguns requerimentos, como por exemplo, aprender a pegar recursos das probes e desbravar território. Eu ainda estou enroscado numa quest de afinidade - acabei de recrutar mais um personagem - tentando entender como funcionam as probes e como pegar recursos, para depois seguir na quest principal.







    3. Depois de muito aguardar um drop de um item que eu estava precisando pra fechar uma quest, consegui então seguir na história e terminar o capítulo 4.

      Fomos até Noctilum tentar recuperar uma cápsula LifeHold, e acabamos encontrando nossa primeira inimiga mortal: Goetia. Uma mulher Zora do inferno que quer à todos custo também destruir a raça humana, usando ajuda dos homens-porco que mataram a equipe Blade no episódio anterior.

      Chegando ao lugar da cápsula, lá estavam eles... E eles destruíram tudo. Felizmente não era uma cápsula LifeHold com ninguém dentro, era um arquivo de documentos que registravam a história do planeta Terra... Perdemos 1/3 desses documentos ao que parece. Demos um cacete na Goetia e seu time, e ela fugiu... Numa nave que parecia muito com as naves Xeno que destruíram a Terra.

      Alguém está tramando algo... Vamos ao capítulo 5. Cadê meu Skell?
    4. Bom, vamos primeiramente à alguns spoilers monstruosos:

      - Os "corpos" dos habitantes da White Whale, ou o que sobrou da humanidade, estão espalhados pelos Life hold. O que está rodando por aí na verdade são robôs, que são controlados mentalmente pelos corpos que realmente estão dentro dos Life holds espalhados por aí, controlados pelos Life Cores. Pense como Matrix, e se alguém destruir o Life Core ou Holds... É morte.

      - Aquele contador no meio de New LA serve pra marcar a "bateria" do Life Core. Desde que a nave caiu em Mira, ta tudo rodando no gerador manja... Até que se encontre uma forma de energia, o gerador tem que segurar a bronca. Senão... É morte.

      - Os porcos do inferno são apenas um teco de uma organização interplanetária mafiosa. E esses caras querem nos matar a todo custo.

      - Encontramos mais uma forma de vida, Ma-Nons. Viraram nossos amigos, e estão morando em New LA junto de Tatsu e L.

      - Destruímos 3 Skells dos porcos no braço mesmo, foi muito foda. Tatsu foi zoar e meu char teve que salva-lo de um tiro de um dos Skells, que explodiu depois. Meu char perdeu o braço e Lin o recolocou no lugar, e foi então que contaram toda a história acima.

      O jogo é maior e mais complexo do que eu achava. Não dá bem pra escrever aqui de tanta coisa, na boa. Mas é um dos RPGs mais complexos / grandes / cheio de coisa pra fazer que eu já joguei, tanto na customização do personagem quanto no tamanho do cenário, quanto no tanto de detalhe que acontece enquanto você joga. É estupidamente grande, não sei nem se precisava de tudo isso :)

      A gente tá bem fudido na história. E sem Skell ainda. Bora pro capítulo 6.
    5. Bom, antes de começar o capítulo 6, como esperado, tenho que preencher alguns pre-requisitos. Eu tive que fazer uma quest de afinidade do Lao primeiro. O time dele estava sem gasolina pro Skell em Oblivia e eu precisei ir até lá levar com meu time. Só que Lao tinha sumido, foi dar uma volta, largou os núbes sozinhos no meio do deserto e a gente precisou escoltar o time dele pra botar uma sonda de minério em outro lugar mais à frente também... E aí:



      Na segunda tentativa conseguimos derrotar esse pequeno monstrinho aí, com um char a menos no time - L tinha tomado um cacete e morrido no meio da luta.

      Agora, o segundo pré-requisito... Temos que abrir 20% do mapa de Noctilum colocando sondas lá... O problema é que eu já coloquei sonda em tudo que é lugar (que delícia, cara) que dá pra chegar, e só abri 17% do mapa. Ainda preciso botar pelo menos mais umas duas sondas nessa região (ah, que irado, kct), e eu não to conseguindo chegar nos lugares.

      Vamos time da Elma, lute pela paz vindoura dando porrada em todos os monstros em Mira.
    6. Capítulo 6 finalizado finalmente! Esse não foi tão complicado como os demais, consegui finalizar duas quests em Noctilun, que me garantiram o "survey rate" que eu precisava de requisito pra começar capítulo 6.

      Fomos até um território inóspito e inexplorado (a telinha de apresentação do lugar ficou verde pela primeira vez, dizendo que era inexplorado. Vai saber) para recuperar algo que os Ganglion estavam desesperados para recuperar. Chegando lá, se tratava de um Skell diferente, que ninguém sabia de onde tinha vindo e a quem pertencia... Nem à população da Terra, nem aos Ganglion. Depois de uma burrada monstra de Tatsu, tivemos que lutar com alguns monstros locais para poder escaparmos - como entramos com nossos corpos robôs, os monstros não nos notaram, mas ao vir com o helicóptero de resgate do Skell, Tatsu ficou pra trás e atrai os monstros pra cima do nosso time. Fomos salvos por um dragão verde gigante que acabou detonando com os monstros e foi embora... Eis a questão, quem ou o que era esse dragão verde?

      Ah sim, tivemos também alguns "flashes" diretamente da base dos Ganglion, com seu mestre aparecendo e conversando uma hora com Goetia, a mulher Zora, e outra hora com um povo "felino" que aparentemente foi conquistado e deve obedecê-los.

      E porra, agora eu posso ter uma habilitação para dirigir um Skell! Que alegria
      Tomara que esse ritmo siga até o fim, tá bem legal essa jogatina e Xenoblade tem toda a possibilidade de entrar no meu top 10.

      Algumas screens:









      • Cris, ele é "extenso", tem muita coisa pra fazer e pra aprender nele, fora a questão exploratória do mapa. Mas você pode ir aprendendo "on the fly" e isso não prejudica tanto a jogatina, e dizem que o conteúdo pós fim de jogo é grande na mesma proporção - continentes por explorar, side-quests, global nemesis para se enfrentar com os amigos no modo online, armas e armaduras por se conseguir, Skells, etc.

        Vale a pena ver alguém jogando antes de se decidir, mas eu gostei pra caramba.
    7. Finalmente, comprei meu Skell! E com seguro ainda por cima, porque eu joguei ele no buraco e quando voltei pro quartel pra consertar, tinha uma mensagem dizendo que meu seguro recuperou meu Skell sem custo algum :)



      No mais, fiz duas affinity quests, uma requerida pelo capítulo 7 e outra pra recrutar mais um personagem pro grupo. Preciso de +2% de exploração no mapa de Oblivia pra começar o capítulo 7, acho que mais uma quest no território resolve.

      Agora que eu tenho Skell... Como faço para ele voar? :)
    8. Capítulo 7 iniciado. Estamos indo até um lugar onde tem um Lifehold, e batemos meia dúzia de Skells inimigos de um jeito relativamente fácil pelo caminho... O time de Gwin e Irina estavam lá e ajudamos eles. Subimos o mapa até o local do Lifehold e enquanto Irina e um soldado estavam investigando, Goetia mandou um míssil e destruiu o Lifehold... E fomos emboscados por eles.

      Agora o pau tá quebrando, o time de Irina enfrenta os Skells dos inimigos menores, enquanto o nosso time enfrenta Goetia e seu Skell... E a batalha é bem difícil, o Skell dela já é forte e dá muito dano no nosso time... Ainda não consegui bolar uma estratégia. Mas nem com o meu Skell (por hora, só eu posso usar, o resto do time só quando chegar no nível 30) estamos conseguindo segurar o tranco, pessoal tá morrendo antes.
    9. Ainda no capítulo 7, não tem outro jeito a não ser dar um grind. Uma coisa que me ocorreu é que se eu conseguir chegar no nível 30, e as meninas também, já dá pra comprar Skell pra cada uma e ainda sobra o meu que já está equipado, pra passar para o Lao que está num nível mais baixo.

      Talvez aí dê uma briga boa se todo mundo tiver Skell, vamos ver.
    10. Capítulo 7 finalizado!

      Tive de fazer um grindzinho pro nível 30, daí equipei Skell em todo mundo. Limpamos o chão com a Goetia, mas infelizmente o Lifehold foi pras cucuias. A parte boa é que acho que ganhamos o Skell da Goetia.

      Vou tentar fazer mais algumas quests pra ganhar mais grana, armas, etc, e depois vou pro capítulo 8.

    11. Devo ter jogado mais umas 6 horas nesses últimos 3 ou 4 dias, fazendo bastante side-quests. Ganhei mais minerais, itens, destravei alguns sites de Miranium, melhorei as 4 "vendors" de equipamentos que eu tenho e mais uma penca de coisa que eu não lembro... Esse jogo é estupidamente grande.

      A side-quest que mais me chamou atenção foi uma em que um humano quis dar uma aula de bons costumes para alguns Ma-Nons e me pediu pra chamá-los para um lugar bem afastado de New LA. Chegando lá, o cara quis matar os Ma-Non, só pelo fato deles estarem "infestando" New LA com sua presença. Lutamos contra o grupo de humanos e seus Skells e salvamos os Ma-Nons. Outra quest legal foi de um grupo de espiões infiltrados em nossa comunidade, eles tinham a possibilidade de mudar a aparência e fazer se passar por humanos. Um deles (delas na verdade) ficou tão infiltrada que acabou gostando dos humanos, e então considerada traidora por seu grupo - que havia sido contratada pelos Ganglion para espionar New LA. Tivemos que salvar a pele da alienígena, que logo após foi levada para interrogação pelos BLADEs que estavam investigando os ocorridos.

      Agora, para começar o capítulo 8, precisamos primeiro terminar uma quest chamada "The Matchmaker", no qual provavelmente Lao vai participar. Até agora, ele é o melhor personagem "pivot" do grupo.
    12. Uma screenshot de um lugar que eu achei sem querer também quando passava por Noctilum numa sub-quest. Tem 3 monstros elites aí dentro dessa caverna, provavelmente de alguma quest secundária que se pega nas barracks. Nem arrisquei porque estou no nível 32 e eles eram nível 50 - e elite, o ideal seria tentar pegar eles com os meus personagens no nível 60 :)



      É muito massa o fato de que você pode usar o fast travel - já que o game é realmente enorme - mas também o fato de sempre você achar algo legal enquanto vai andando se não usar o fast travel. Cavernas, tesouros, monstros gigantes, etc. Apesar de tomar tempo, se você puder, vá andando :)
    13. Capítulos 8 vencido, de longe o mais loco até agora. Resumidamente, o que aconteceu foi que os Ganglions invadiram nossa base (foto abaixo, foi muito legal) para poder resgatar o Skell desconhecido que pegamos no desfiladeiro do capítulo 5. Rolou uma distração, tivemos que batalhar um pessoal novo (uma "arlequina" e um rinoceronte gigante) enquanto os caras invadiam o hangar dos nossos Skells no outro lado pela retaguarda.

      Rolou uma cena, parece que esse Skell que os Ganglion levaram era de um tal de "O Divino". Vai saber. Quem levou embora foi o povo Wroth, aqueles humanóides misturados com panteras e tal.

      Agora, já no capítulo 9, Lao (sim, o idiota que eu treinei, dei comida, roupa, equip, arts, Skell e tudo mais) nos vendeu para os Ganglions - ainda não sabemos o motivo... Chegamos até um continente novo, Sylvalum, e lá sofremos uma emboscada dos guerreiros Wroth (outro foto aí pra baixo). Terá que rolar um grindzinho pra lutar contra eles, já que eles são bem fortes e nós estamos lutando sem os nossos Skells. E como o Lao nos vendeu e não está no grupo, tivemos que contar com a ilustre presença dele, BOZÉ, para nos ajudar a vencer os Wroth, já que não tinha nenhum outro idiota com nível alto pra ser recrutado. O caso é que os Worth estão numa crise de consciência, e Elma bateu um papo pra convencê-los a se rebelar contra os Ganglion... Se vencermos, eles nos deixam ir embora. Quem sabe até se rebelam mesmo, o que não tá faltando muito. E confirmaram inclusive que os Ganglion tem medo da raça humana. Pode? Só por causa do Bacon?

      Aqui vai uma penca de screenshots.



















    14. Nível 41 e ainda tomando uma senhora surra de Ga Jiarg e sua turma, que estão no 34. É muito overpower... Acho que vou ter que fazer um grind até 43, que é quando eu posso equipar uns equipamentos melhores. Ou, na pior das hipóteses, contratar um BLADE nível 60 pra me ajudar nessa quest aí.
    15. Capítulo 9 vencido, e realmente precisei chegar ao nível 43 pra bater o clan dos guerreiros Wroth. Eles foram os piores até agora, bem carne de pescoço, esse povo realmente é forte. E tivemos que derrotá-los numa segunda luta também, contra seus Skells samurais.

      Depois de voltarmos para NLA, descobrimos que Lao estava na câmara de recuperação pois ele havia realmente tomado um pau na entrada de Sylvalum. Elma explicou suas desconfianças para Doug, que deve ser amigo de Lao.

      Fiz também uma side-quest pra ganhar o módulo de voo do Skell, e agora podemos voar! Sim, gastando uma gasolina absurda, mas agora ganhamos os céus, e amiguinhos... Virou outro jogo... De novo!

      Antes de iniciar o capítulo 10 tive que fechar uma affinity quest. Fomos até Noctilum e, segundo Vandham, possivelmente aquela xarope da "arlequina-like" e seu miguxo gigantesco estariam lá, mas não estavam. Era uma loirinha com um monstrengo gigante que fala fino. Esqueci o nome dela, mas depois de salvá-los dos Ganglion, ela se abrigou em NLA também, e agora abriu uma affinity quest dela que ainda preciso fazer. Também outra side-quest finalizada foi uma em que ajudei uns amigos dos Ganglions (e os próprios) contra uma fera que ia atacá-los dentro de uma caverna em Primordia, e esses também se abrigaram em NLA. Tá parecendo São Paulo agora, tem gente de todo tipo.

      No início do capítulo 10 então, Vandham disse que há um espião infiltrado em NLA trabalhando para os Ganglions (imagina só) e ele não sabia quem era. Disse que não haviam maiores informações e por hora deveríamos consertar uma sonda em Sylvalum. O problema é que chegando em Sylvalum, fomos atacados por uma nave gigante (grande mesmo) que estava indo em direção de NLA. Cabe a nós agora deter essa nave gigante antes que ela chegue na nossa querida cidade. Adivinha só quem é que está pilotando essa nave?

      Ah sim, nossa reserva está em 9%, e precisamos encontrar logo esse lifehold core, senão iremos para o beleléu. Esse jogo está entrando tranquilamente no meu top 10 universal.















    16. Finalmente, Zu Pharg, a fortaleza voadora, foi destruída. Mais ou menos como usar estilingue e mamonas pra jogar um busão pra fora da pista, mas deu certo. Precisei mirar mais nos inimigos que saíam de dentro dele, e manter meus skells calibrados para a hora da desforra. Aparentemente, Ryzz e seu comparsa morreram dentro da fortaleza voadora, e o destroço ficou lá em Sylvalum - inclusive abriu uma side-quest que tenho que ir lá recolher algum material para pesquisa.

      Preciso concluir duas side-quests antes de partir para o capítulo 11. De qualquer forma, estou tentando fazer várias side-quests, incluindo as de afinidade, para subir o nível dos meus personagens já que provavelmente vou precisar deles num nível maior daqui pra frente.

      Esse jogo deixará saudades quando eu terminar. Capaz de extrair um pouco mais de suco, quem sabe. Cada side-quest expande mais ainda o universo, abrindo outras side-quest e destravando coisas legais. Mais screenshots abaixo.







      Ah sim, essas duas imagens abaixo foram de uma quest de afinidade que fiz com Bozé. Seus estudantes foram assassinados pelos Prones malditos, uma delas bem diante de seus olhos. Foi meio... Tenso. Mas sem sangue.



    17. Fiz as duas affinities quest pra começar o capítulo 11, mas ainda falta explorar 10% de Cauldros para começar o esquenta. Tenho uma quest que fiz em Primordia e que vai acabar lá, pra resgatar um Ma-Non sequestrado e levado para lá, então começarei por aí.
    18. Capítulo 11 batido, capítulo 12 iniciado.

      Assim como esperado, Lao era um espião dos Ganglion mesmo. Ele roubou um skell chamado Prog Ares do hangar, e fugiu com uma importante informação sobre as sondas, que ajudariam mapear rapidamente o planeta Mira e finalmente descobrir onde está o Lifehold Core. Lao estava revoltado por ter perdido sua filha e esposa, por isso vendeu o que sobrou da humanidade para os Ganglions.

      Depois de dar uma surra em Lao e recuperar os dados, no capítulo 12 voltamos para as barracks e conseguimos triangular a posição do Lifehold Core à oeste de Cauldros, no meio da água. Chegando lá, já havia um ataque dos Ganglions tentando destruir o lifehold, e praticamente todos os blades disponíveis estavam em missão tentando proteger o dispositivo (do tamanho de um prédio, diga-se de passagem).

      Temos apenas 15 minutos... Elma tem agido estranho, ameaçou atirar em Lao no capítulo anterior, e ao entrarmos no lifehold core, não havia nenhuma cápsula com nossos corpos verdadeiros. E Elma disse que fomos enganados... Mas antes dela terminar de explicar, Luxaar adentrou a sala quebrando tudo, pilotando o skell Vita, o mesmo que foi recuperado do nosso hangar no capítulo 8 com a ajuda de Lao. Luxaar também disse que os Ganglions tentaram nos destruir desde à Terra (no Xenoblade anterior de Wii) pois somos os descendentes dos "fundadores", pois não é possível que em pouco tempo tenhamos construído skells e essas coisas chiques que temos.

      E foi aí que paramos, na luta contra Luxaar, que provavelmente já é o fim da campanha principal. Não parece ser tão difícil, mas temos que bolar uma estratégia para não perder os skells tão rapidamente e destruir os orbes que voam em volta do Vita, dando energia à ele.











    19. Essa jogatina começou dia 16/02/2016, e praticamente 8 meses e 15 dias depois, é fim de jogo!

      E que jogo amiguinhos, que jogo... Eu não deveria ter parado por aqui já que ainda sobrou conteúdo pra burro ainda depois da história principal: várias quests de afinidade, ainda dois arm dealers pra achar, skells e equipamentos mais fortes, bosses, mapa pra destravar, partidas online, etc, etc... Acredito que eu deva ter feito uns 40% de jogo só. Mas, como eu terminei a história, por hora eu vou jogar outras coisas e depois vou voltar pra cá.

      SPOILERS ABAIXO, SE VOCÊ AINDA VAI JOGAR, NÃO LEIA DE JEITO NENHUM.

      Pelo que eu entendi é que realmente os Ganglions tinham medo da raça humana pelo fato dos humanos serem descendentes diretos dos "Saamar". Os Ganglions foram feitos para servir os samarianos (ou sumérios?) e nunca deveriam se voltar contra eles - e aí que a raça humana entra. Os humanos seriam os "escudos" e herdeiros diretos do povo de Saamar. Por isso os Ganglions queriam tanto acabar com a raça humana.

      Depois de batermos o skell Vita controlado por Luxaar, de bater os monstros Chimera que serviam de defesa do Lifehold Core, Lao surgiu para matar Luxaar. Ainda dentro do Lifehold Core, descobrimos que os corpos humanos foram destruídos junto com o planeta Terra no primeiro jogo, de Wii. O que estava dentro do Lifehold Core eram apenas as consciências dos seres humanos, e que o Lifehold tinha a capacidade de injetar a consciência das pessoas de volta em um corpo de carne e osso, que era criado na hora.

      Depois disso, Lao acabou caindo dentro do tanque de DNA junto com Luxaar, assim criando o último boss. Quase o Nemesis de Resident Evil. Depois de outa batalha ferrenha, conseguimos salvar o dia... Ou não.

      Elma é a única que tinha o corpo "original" guardado no Lifehold, de todos que deixaram a Terra. Mas, na verdade, ela era uma alienígena! O mimesome dela parecia com de um humano, mas no fundo ela era uma extraterrestre. Ela havia ajudado com a tecnologia de seu povo a criar nossos skells e o Lifehold. Depois dessa revelação, descemos ao subsolo do Lifehold, para descobrirmos que... Tudo estava destruído! Não havia mais nada dentro do banco de dados, todos os computadores que guardavam as consciências dos seres da Terra haviam sido destruídos por uma inundação, que ao que indica, foi ocasionada logo ao chegarmos em Mira.

      Segundo Elma, o próprio planeta Mira estava nos mantendo vivos dentro dos nossos corpos artificiais. E logo depois dessa explicação, apareceu uma sequência de Lao deitado inconsciente numa praia deserta, e alguém encapuzado indo em sua direção... E o jogo acabou aí :)

      Ao que tudo indica, teremos uma sequência. E, para isso, deveremos esperar mais. BEM mais.

      Fim de papo :)
















    Tabela de caretas e tags +
    Os comandos personalizados disponíveis são:
    [b] negrito [/b]
    [i] itálico [/i]
    [u] sublinhado [/u]
    [s] riscado [/s]
    [x] spoiler [/x]
    [-] bolinha indicadora de lista

    Deixe uma resposta

    Assinar comentários desta página via RSS

    Projeto Jogatina

    "Well, I think I'll go out and get some fresh air for a change."
    Barry, Resident Evil
    "Jogatina para Jogadores Honestos."

    © 2018 Projeto Jogatina
    © 2018 Igreja do Famicom Invisível
    © 2018 NES Archive
    Idealizado por Pastor Cospefogo.
    Todas as marcas, jogos, personagens e produtos aqui mencionados são propriedades de seus próprios autores.
    Todos os comentários e análises são de responsabilidade de seus respectivos autores.
    O sítio Jogatina não tem nenhum vínculo ou objetivo comercial. Gamepad icons by Deleket (Jo Mendoza).
    Voltar ao topo