URGENTE: Precisamos de doações para pagar o DOMÍNIO e HOSPEDAGEM do Projeto Jogatina.
Qualquer valor é válido!
Para mais informações escrevam para doacoes@projetojogatina.org

Projeto Jogatina

Jogatina
ativa

Chegou a hora, e a hora é agora.
Final Fantasy VI (Gameboy Advance)
Por Bispo Snake
• Criada em 30 de janeiro de 2014
• Essa jogatina já foi visitada 1348 vezes.


    Screenshot contruibuído por um membro do projeto.

    Ou vai ou racha. Se não conseguir terminar esse game dessa vez, desisto.

    Postando pra conseguir dicas e orientações dos mais letrados em FF6.

    34 comentários para
    Chegou a hora, e a hora é agora.

      • Passei pelo esconderijo dos Returners, venci Lula Molusco Ultros, minha equipe se dividiu e e escolhi o cenário do Locke para jogar.

        Acabei de encontrar Celes presa enquanto jogava esse cenário, e estamos fugindo por um porão de uma mansão. O problema é que esse porão é cheio de caminhos... Uma hora essas potions e MP's vão se esgotar :)
        • Cenário de Locke vencido. Fugi da cidade com Celes depois de conseguir achar a saída do subsolo da mansão. Fizemos nosso caminho até Narshe se não me engano e fim de cenário.

          Comecei o cenário de Sabin. Já me juntei à Shadow e Cyan, Shadow eu achei logo no começo numa cidadezinha no começo do cenário - aproveitei para comprar algumas coisinhas lá de um vendedor montado em um chocobo.

          Depois dessa passagem, entrei no acampamento do império e passei por uma das mais enigmáticas passagens desse jogo que vi até hoje... No acampamento, Kefka fez uma mensagem falsa chegar ao General Leo - um bom homem, apesar de estar aliado ao império - e nisso, General Leo foi até o imperador e abandonou o acampamento. Kefka se aproveitou a ausência de Leo para tocar o terror no lugar. Esse filho duma égua botou veneno no rio próximo ao acampamento, para poder envenenar o povo do castelo de Doma, e assim, conseguir subjugar essa nação - que por sinal, de tabela, acabou matando o rei do castelo e a esposa e filho de Cyan. Cyan jurou vingança e foi até o acampamento do império para lutar e acabou encontrando e se aliando com Shadow e Sabin.

          Depois dessa passagem, lutamos com vários soldados e Kefka (que fugiu, que ódio desse cara) e fugimos do acampamento montados em robôs Magitek.

          O grupo então partiu para Phantom Forest, e parei o game justo aí, no último vagão do Phantom Train... Outra passagem muito emblemática desse jogo.

          Me leva à seguinte questão: o que andam bebendo os atuais roteiristas de RPG's e demais jogos na hora que estão criando as histórias para nossos queridos games?
      • Phantom Train vencido. Foi uma batalha razoavelmente fácil quando se abusa das habilidades Blitz de Sabin e Bushido de Cyan, que também não consomem mana por exemplo. No meio tempo, Shadow tava dando uns contra-ataques bem pornográficos com o cachorro dele, tirando muita energia dos inimigos.

        Rumamos para Barren Falls (eu acho, sou péssimo para nomes). De lá, Shadow deixou o grupo. Caímos cachoeira à baixo lutando contra várias "piranhas" e fomos parar em Mobliz. Nessa pequena cidade, abastecemos o estoque de itens e recrutamos o jovem Gau, um menino usuário de crack que o pai jogou na rua. Esse garoto tem uma habilidade peculiar: aprender os golpes dos inimigos, desde que os enfrentemos próximo à Mobliz.

        Estou parado aí, tentando pegar o máximo de habilidades que consigo antes de entrar na caverna de Crescent Moon - provavelmente isso vai me levar ao outro lado do mapa quando conseguir encontrar uma correnteza ao sul de Mobliz.

        Vamo que vamo.
      • Joguei mais um pouco esse fim de semana, nos intervalos entre a jogatina de Pokemon X e as dormidas do Lucas.

        Consegui fechar o cenário de Sabin, voltei para South Figaro (ou Narche, e agora?) depois de encontrar o tal objeto brilhante de Gau, o menino da crackolândia. Talvez ele quisesse o objeto pra vender e ter grana pra comprar seus alucinógenos, mas acabamos usando o objeto brilhante, um capacete antigo de mergulho, para pegar a correnteza e vir boiando até uma cidade portuária que agora não lembro o nome. De lá, fomos de barco para a cidade onde será feito o rende-vouz com o grupo do próximo cenário: Terra, Edgar e Banon.
        • Cenário de Terra, Edgar e Banon vencido. Todos os grupos se encontraram em Narche e defendemos as minas da investida do império.

          Terra se não me engano entrou em contato com o esper que estava escondido na cidade, entrou em piripaque e saiu voando pelos céus, ao que parece para noroeste do mapa. Temos que ir encontrá-la.
      • Algumas informações nas cidades adjacentes levam à crer que Terra está por perto. Paramos em Jidoor, e dizem haver uma Opera por perto.

        Sempre bom invadir a casa das pessoas ricas e mexer em tudo.
      • Depois de andar bastante por Zozo, uma cidade bem chulé, encontramos Terra. Ela estava no alto de um prédio, sendo guardada por Ramuh, um esper.

        Ele contou muita coisa interessante sobre a Guerra dos Magi, e nos alertou sobre uma segunda que pode ocorrer, se não conseguirmos resgatar o restante dos Espers que estão presos na Magitek Research Facility. De quebra, esses Espers que estão lá presos são os únicos que podem ajudar Terra a voltar para seu estado normal.

        Bora para a Magitek Research Facility.
      • Não consegui achar ainda a tal Magitek Research Facility, mas estou firme em direção ao norte. Só não sei ainda pra onde estou indo, e essa é a graça dos JRPGs =)

        Entrei no castelo de Fígaro e tirei uma soneca, nisso rolou uma "cut-scene" com a história do porque Sabin deixou o reino de Fígaro para trás e Edgar se tornou rei. Bem legal. Gostaria que os jogos de hoje tivessem roteiros melhores, nem que fossem clichês - desde que fossem bons clichês...

        Rumando ainda para a Magitek Research Facility, alguém sabe pra qual direção?
        • No entanto, vendo seu roteiro de jogo, acho que você precisa dar uma passada na Opera House, ao sul de Jidoor, praticamente na ponta do mapa.
        • A Opera House ainda está fechada, parece que eu tenho que ir para Jidoor falar com o Impresario pra abrir a Opera House. E estranhamente, estou sem os meus Espers para equipar, mesmo tendo salvado Terra... Acho que vou voltar até Zozo pra ver qualé, tomara que meu save não tenha corrompido.
      • Bom, meu save deu aquela bichada mesmo e passei por Zozo novamente. Depois da historinha sobre os Espers e a guerra de Magi, voltamos para Jidoor para bater um papo com o Impresario.

        Celes agora é nossa "Maria", e finalmente chegamos até a Opera House =)
      • Bom, tivemos desenvolvimentos interessantes na história, muitos spoilers abaixo.

        Primeiro passamos por toda uma caverna até chegarmos na boca de Sealed Gate, o portão que levava até o mundo dos Espers. Nisso, Kefka chegou e já estava no seguindo antes, o próprio imperador Ghestal havia dado a ideia de usar Terra como guia e leva-los até o portão.

        O resto do grupo tentou segurar Kefka na porrada enquanto Terra tentaria entrar pelo portão, e foi aí que deu ruim. Os Espers ficaram na saga do ódio e saíram voando pelo mundo, castigando aqueles que fizeram mal aos seus. Enquanto escapavamos em direção ao dirigível de Setzer, o estrago já havia sido feito, eles destruíram boa parte de Vector.

        Também derrubaram nosso dirigível e tivemos que seguir à pé até a cidade. Já em Vector, encontramos alguns soldados Returners por lá, além de Arvis e Banon. Adentrando olá fortaleza do império, tivemos uma audiência e um jantar com o próprio Ghestal, que disse que havia errado, que retiraria suas tropas das cidades ocupadas, colocado Kefka na cadeia por envenenar Doma, em troca da ajuda de Terra para acalmar os Espers. Tudo com um tom muito estranho.

        Partimos então num barco do império em Albrook, próximo à Vector, com direção à Crescent Island para tentar encontrar os Espers, contando com o general imperial Leo, Celes, Locke e Shadow no time. Rolou uma ceninha do amor com Celes e Locke, e Terra e Leo.

        Chegamos em Crescent Island, divididos. Locke, Terra e Shadow num grupo, e o resto em outro. Subimos até a cidade de Chamada, onde conhecemos Strago e sua neta Relm. Tudo também muito estranho na cidade, e enquanto dormíamos à noite, Relm acidentalmente haveria posto fogo na casa do vizinho... Usando mágica.

        Depois de enfrentarmos um boss e salvarmos Relm, Strago nos contou a verdade: a cidade era toda de descendentes dos Magi / Espers. Por termos salvado sua neta, ele concordou em nos ajudar a achar os Espers, e foi aí que paramos. Eles devem estar numa montanha próxima à cidade.

        Tenho que parar de jogar por muito tempo, senão depois não consigo escrever tanto ou lembrar de tudo ;)
      • Bueno, joguei mais um pouco. Fui atrás dos Espers depois deles terem saído voando pelo mundo, buscando vingança e algo mais.

        Saímos de Thamasa em direção à uma caverna à esquerda do mapa, e demos um baita rolê pra poder encontrar os Espers. Relm, neta de Strago, veio atrás de nós, escondida, e nos ajudou numa batalha contra... Ultros, veja só. Serviu de tutorial também a batalha, pra aprender a usar a skill "Sketch" da menina, que copia o movimento usado pelo inimigo. Ficamos meio que amiguinhos de Ultros também por conta dela.

        Adentrando mais a caverna, encontramos os Espers. Eles contaram que assim que Terra abriu o portal, eles já estavam esperando para entrar no mundo dos humanos e que perderam o controle de seus poderes assim que isso aconteceu. Mataram pessoas, acabaram com uma cidade, etc. Locke então disse que seria legal se eles voltassem até Thamasa já que Gesthal havia prometido paz. Chegando lá, o General Leo confirmou o tratado, porém...

        Como esperado, era tudo armação. Kefka chegou na cidade com Magiteks, assassinou o General Leo e transformou os Espers em Magicite. Agora, o primo do Coringa tem poder ilimitado...

        Setzer, Cyan, Edgard e Sabin voltaram pra Thamasa também alegando que Gesthal havia armado para eles, a moça do chá havia dado a dica para Edgard, enquanto ele tentava passar uma cantada nela.

        Aliás, também lembrei de trocar os Espers entre o pessoal do grupo, pra todo mundo poder aprender mágica. Desde que peguei a primeira magicite, nunca tinha trocado em ninguém, esqueci completamente...

        E paramos aí... Temos que encontrar um jeito de parar Kefka, Gesthal, e o império... E não vai ser fácil.
    1. Vou fazer igual a Nei, vou postar os meus save-states mentais no meu primeiro post.

      Por hora essa jogatina está legal, é que eu já joguei tanto essa parte tentando terminar o jogo desde o começo sempre, que eu preciso chegar logo numa parte que eu não lembro pra retomar a pegada viril.
        • Se você pegou a ROM de fato original, certamente é a que tem as cores mais claras. Saiu um patch ([LINK EXTERNO]) que deixa as cores como na versão original de SNES, afinal, Final Fantasy VI é um jogo que em sua essência é obscuro. No RHDN tem uns outros patches também, como uns que tiram censuras, melhoram as músicas, etc.
        • Legal Lobim, nem imaginava isso! E realmente, os gráficos parecem estar mais "claros"... Talvez fizeram isso pra poder ficar melhor de enxergar no portátil.
    2. Fomos à ópera, nos fizemos passar por uma atriz renomada, cantamos como sopranos e tenores, entramos em cena sem querer, nocauteamos os atores principais igualmente, lutamos contra o Lula Molusco, fomos capturados por um jogador inveterado e o enganamos com uma moeda de dois lados. Tudo isso para que ele nos levasse em seu barco voador até algumas milhas próximo ao Império, entrarmos lá e resgatar os Espers presos, para então ajudar Terra.

      Je sui FF6.
    3. Eu acho que finalmente passei da parte que geralmente eu enroscava até então.

      Consegui passar pela Magitek Research Facility. Infelizmente os Espers já estavam praticamente com o destino selado, não conseguimos salvá-los. Apesar disso, eles nos deram as magicites, que usamos para ajudar Terra a se recuperar.

      Passei também por um "prólogo" (tá certo o nome?) de como Terra nasceu... A mãe dela teve um caso com um Esper lá no plano deles. Então o Imperador Gestahl invadiu o lugar tentando pegar o poder dos Espers. Na treta toda, o chefe da aldeia precisou fechar a porta de entrada fazendo assim com que ninguém mais pudesse entrar lá e expulsando os invasores... Porém, o pai e a mãe de Terra, juntamente com ela mesma, foram expulsos juntos... Gestahl então pegou o bebê e fugiu. Provavelmente o pai e mãe de Terra morreram ali, e Terra ao que tudo indica foi criada pelo império. O legal é que apesar de ser jogável, essa parte foram todas as lembranças de Terra que agora consegue se controlar e voltou à sua forma normal de ser humano.

      Que coisa não? Agora, no barco voador de Setzer, devemos voltar à Narshe e ver como as coisas estão por lá. Mas... onde fica Narshe mesmo? :D
      • Só uma errata: a mãe da Terra eu realmente não sei (ou não lembro) que fim teve, mas o pai dela (Maduin) foi levado para o Magitek Research Facility. Inclusive você consegue a Magicite dele naquele monte que você ganha nesse lugar.

        E Snake, vamos colocar o spoiler aí para quem não jogou saber tudo o que acontece.
        • Verdade, perdão. Eu imaginava que ninguém lia a parada pq escrevo muito, então, nunca me preocupei com isso. Vou fazer daqui pra frente.

          Eu não tinha visto o pai da Terra lá na fábrica, pelo menos não me lembro de ter visto... Então achei que ele tinha ido pro buraco lá mesmo, na saída da "aldeia" dos Espers.
        • É bem sutil mesmo, você recebe a Esper dele como se fosse uma outra qualquer. No entanto, se você for perceber, o nome é o mesmo e, ao invocar o Esper, aparece um personagem praticamente idêntico (não falarei que é igual, porque não é o sprite do personagem).
        • Na entrevista do Flavio Branford no último ENA, de fato foi assim!
          Viram o vídeo?
          Ele disse que FFVI é o jogo preferido da vida dele.
      • Ah sim, temos que procurar o portal para o mundo dos espers para pedir ajuda deles... E nesse momento, minha estupidez não vai me permitir achar tão cedo. Como eu nunca havia passado desse ponto antes, não sei por onde começar, mas vou tentar fuçar... Algo me diz que fica próximo ao império - que por sinal eu não sei mais onde está no mapa

    Tabela de caretas e tags +
    Os comandos personalizados disponíveis são:
    [b] negrito [/b]
    [i] itálico [/i]
    [u] sublinhado [/u]
    [s] riscado [/s]
    [x] spoiler [/x]
    [-] bolinha indicadora de lista

    Deixe uma resposta

    Assinar comentários desta página via RSS

    Projeto Jogatina

    "Do you know where sailors hang out?"
    Ryu Hazuki, Shenmue
    "Jogatina para Jogadores Honestos."

    © 2018 Projeto Jogatina
    © 2018 Igreja do Famicom Invisível
    © 2018 NES Archive
    Idealizado por Pastor Cospefogo.
    Todas as marcas, jogos, personagens e produtos aqui mencionados são propriedades de seus próprios autores.
    Todos os comentários e análises são de responsabilidade de seus respectivos autores.
    O sítio Jogatina não tem nenhum vínculo ou objetivo comercial. Gamepad icons by Deleket (Jo Mendoza).
    Voltar ao topo