URGENTE: Precisamos de doações para pagar o DOMÍNIO e HOSPEDAGEM do Projeto Jogatina.
Qualquer valor é válido!
Para mais informações escrevam para doacoes@projetojogatina.org

Projeto Jogatina

Jogatina
ativa

Estrela da Fantasia 3: Gerações Condenadas
Phantasy Star III - Generations of Doom (Genesis/Mega Drive)
Por HarvestDude
• Criada em 06 de fevereiro de 2018
• Essa jogatina já foi visitada 23 vezes.


    Findo o incrivelmente exaustivo Phantasy Star II, é hora de começar o III.

    Estou bem no comecinho, só peguei para fazer o inicinho mesmo e dizer que comecei, pra não perder o pique.

    Mais uma vez, a versão escolhida é a do Sega Ages Vol. 32: Phantasy Star Complete Collection de PS2. Na verdade, é uma meta-emulação: comprei o jogo digitalmente na PSN japonesa pelo meu PS3, mas a coletânea é de Ps2 com jogos de Mega Drive... Então o Ps3 emula Ps2 que emula Mega... e funciona bonitinho. Coisa linda.

    Assim como nos PS’s anteriores, não mexerei na dificuldade, mas usarei a opção exclusiva dessa coletânea de andar mais rápido, o que salva um bom tempo em labirintos. Pegarei mapas na internet se necessário for, pois não tenho mais tempo nem saco de ficar desenhando mapas.

    Sobre o jogo, logo de cara nota-se a diferença gráfica. O PS2 era mais parecido com PS1, com cenários e cores mais simples e chapadas. Já PS3 parece-se mais com os rpg´s de sua época, com cidades mais caprichadas (até porque ele é um RPG meio medieval no começo) e detalhes bem típicos desse gênero, com pedrinhas, caminhos, gramas, árvores, casas de madeira e etc. Rhys, o personagem principal também é bem desenhado no mapa, bem diferente do estilo dos anteriores, mais para ”super deformed”.

    Os menus mudaram bastante (agora o menu sai para uma tela própria em vez de janelas sobrepostas sobre a tela do jogo). Achei chato. Preferia como era antes. No menu de batalha, tudo mudou e ficou meio confuso, com ícones estranhíssimos simbolizando suas escolhas táticas.

    Lembro-me de ter pegado esse jogo anos atrás, nos idos de 2004 ou 2005, e tê-lo achado horroroso. Vendi em seguida. O que me aterrorizou foi o menu bisonho de batalha e o fato de não se parecer em nada (ao menos inicialmente) com o primeiro Phantasy Star.

    Passados os anos, resolvi desfazer essa má impressão e jogá-lo apropriadamente. E lá vamos nós mais uma vez à caça de Dark Force / Dark Falz.

    2 comentários para
    Estrela da Fantasia 3: Gerações Condenadas

    1. De cara, já posso dizer que a dificuldade foi BEM mais atenuada. Os levelings são mais curtos, não é mais tão difícil ficar forte.

      Claro, no começo todos os monstros são bem fraquinhos e dão quase nada de XP e Mesetas (como o Chirp, que dá 1 XP e 1 MST), mas os itens não são mais tão exorbitantes no preço. Armas e armaduras custam até uns 300 ou 400 MST enquanto em cada luta se ganha de 2 a 15 mesetas. Já tá melhor. Mas algumas lojas possuem um ou dois itens MUITO mais caros, como uma ombreira de 7800 mesetas e uma espada de 8600 mesetas, mas ao menos agora há opções bem mais em conta. Interessante que há a opção de escolher uma arma mais adequada para quem quer seguir o jogo sem fazer muito up, assim como há opção de quem quer ficar fazendo uma eternidade de farming logo no início pra pegar umas armas fodonas.

      Sobre o jogo, Rhys o protagonista é descendente de Orakio (um guerreiro lendário que lutou e aprisonou a bruxa Laya 1000 anos atrás). Um dia uma mulher apareceu na praia próxima à sua cidade, trazida pelo mar, e totalmente sem memória. Logo ela se torna a noiva de Rhys. No dia do seu casamento, um demônio (tido como descendente ou seguidor de Laya) aparece no altar e sequestra a noiva. Rhys sai em busca do paradeiro dela, jurando vingança contra Laya e seus descendentes e seguidores.

      Após um pouquinho de grinding, cheguei em uma cidade com um barco para viajar, mas o dono só sai se eu levar junto um ciborgue, símbolo de sorte e sucesso de acordo com sua superstição. Ao conversar com pessoas das cidades, eles informam que há uma ciborgue parada às margens de um lago próximo.

      Fui até lá e encontrei Mieu, a ciborgue. Ela é uma máquina programada para obedecer somente ao descendente de Orakio, e ao ver que Rhys é da mesma linhagem, resolve acompanhá-lo em sua jornada.

      Por alguma razão, nos levam a uma caverna onde um homem chamado Lyle está com uma safira.

      na caverna a coisa muda de figura. O encounter rate dos monstros é bem maior e eles vêm em grupos grandes. Na primeira tentativa, já tomei uma surra. Agora é tentar de novo. Só não sei ainda o que queremos com essa safira.
    2. Feito. A safira permite entrar em algumas cavernas do jogo, que ficam bloqueadas de início.

      Cheguei a outra área, toda coberta de gelo. Entrei em uma cidade, bati um papo com os locais e eles disseram que o frio congelou a água e estão morrendo de fome, já que são uma pequena vila de pescadores. Juntei uma grana, troquei uns equipamentos, dei uma explorada e não achei nada que pudesse fazer nessa área. Encontrei ao sul uma passagem "secreta" (mas indispensável para o avanço do jogo) que leva a uma área nova, um deserto.

      O deserto é grande e só há uma cidade no meio. Lá, me falaram para procurar pelo ciborgue Wren, escondido em uma caverna a oeste. Fiz mais umas compras e fui atrás de Wren. Ele se juntou ao grupo para que possamos ajudá-lo a consertar o controlador de clima que está deixando essa área com deserto. Mais umas compras para Wren, um pouco de grinding para nos fortalecer e bora até o weather control.

    Tabela de caretas e tags +
    Os comandos personalizados disponíveis são:
    [b] negrito [/b]
    [i] itálico [/i]
    [u] sublinhado [/u]
    [s] riscado [/s]
    [x] spoiler [/x]
    [-] bolinha indicadora de lista

    Deixe uma resposta

    Assinar comentários desta página via RSS

    Projeto Jogatina

    "Do you know where sailors hang out?"
    Ryu Hazuki, Shenmue
    "Jogatina para Jogadores Honestos."

    © 2018 Projeto Jogatina
    © 2018 Igreja do Famicom Invisível
    © 2018 NES Archive
    Idealizado por Pastor Cospefogo.
    Todas as marcas, jogos, personagens e produtos aqui mencionados são propriedades de seus próprios autores.
    Todos os comentários e análises são de responsabilidade de seus respectivos autores.
    O sítio Jogatina não tem nenhum vínculo ou objetivo comercial. Gamepad icons by Deleket (Jo Mendoza).
    Voltar ao topo