URGENTE: Precisamos de doações para pagar o DOMÍNIO e HOSPEDAGEM do Projeto Jogatina.
Qualquer valor é válido!
Para mais informações escrevam para doacoes@projetojogatina.org

Projeto Jogatina

Jogatina
ativa

Unidos, venceremos!
Yggdra Union - We’ll Never Fight Alone (PSP)
Por ZEMO
• Criada em 26 de outubro de 2016
• Essa jogatina já foi visitada 357 vezes.


    Screenshot contruibuído por um membro do projeto.

    Séculos após jogar Riviera: The Promised Land, mas pouco tempo após descobrir que este jogo se passa no mesmo universo de Gungnir, inicio esta jogatina para não perder nada entre uma saga e outra da série.
    Após esta jogatina ainda haverá o Knights in the Nightmare, que terei que escolher entre jogar no DS ou no PSP mais uma vez.

    Por hora, bora ajudar a princesa Yggdra a libertar Fantasinia de seus opressores!

    5 comentários para
    Unidos, venceremos!

    1. Sim, quero deslacrar e jogar o Gungnir, mas não antes de avançar no universo!
      Comecei essa jogatina já algumas vezes antes mas não havia conseguido progredir. Desta vez o negócio está fluindo, e já estou com mais de 13 horas de jogo.
      Não vou spoilerar por enquanto, mas estou passando por uma série de armadilhas, traições e emboscadas. Em termos de situações de conflito, o jogo é bem rico.
      A mecânica do jogo é baseada em disputas similares a Fire Emblem, mas você tem autonomia para comandar suas tropas, sendo que cada tropa possui um líder, que são os personagens principais da história. Cada personagem, como era de se esperar, é de uma classe: Valquíria, Bruxa, Cavaleiro, e por aí vai. Durante as batalhas, você pode comandar a tropa para recuar, enchendo uma barra de ação especial ou pode mandar avançar, consumindo a barra. Cada tropa em batalha é regida por uma carta. Dependendo da carta que você escolhe, é possível usar magias, ataques especiais e outras sacanagens quando a barra está cheia. Fica então a estratégia misturada à ação em tempo real! Quando o líder da tropa tomba em campo de batalha, a tropa fica desnorteada e você não consegue transmitir comandos, o que é muito bacana e imersivo!
      Até o momento, o jogo tem sido bastante linear, embora apresente algumas decisões para o jogador tomar que definem os rumos da história, o que dá a entender ligeiramente que existe a possibilidade de rejogar fazendo outras escolhas.
      Por enquanto é isso!

      [13h] [Chapter 4] [Batalha 18]
    2. O jogo, como já disse, tem as batalhas regidas por cartas, definindo ataques e sacanagens especiais através da barra mas dependendo do líder da union que empreendeu o ataque, ou seja, o personagem que você escolheu no mapinha para "começar a briga". Sendo assim, o jogo vai oferecendo novas cartas conforme você avança na história, mas estou sentindo falta de novas cartas já. Pode ser ansiedade minha, mas com as poucas cartas que tenho, as batalhas vão se aproximando do final e vai dando aquele medo de esgotar as cartas e eu perder a batalha por causa disso. Mas pode ser estratégia da Atlus pra deixar o jogo mais desafiante, mais dependente de economia de recursos, o que cai bem para um jogo com tema de guerra como este.

      [14h] [Chapter 4][Batalha 22]
    3. Depois de uma longa jornada, finalmente avancei para o quinto capítulo. As batalhas deste jogo têm mais peripécias que o teatro de José de Alencar! Uma nota sobre os itens e armas do jogo aqui: eu já havia achado peculiar a efemeridade das armas em Riviera: The Promised Land, que vão "morrendo" conforme você as usa, mas aqui é demais. Tem armas e itens que você só usa em uma batalha e aquele abraço! Outra peculiaridade é que você pode COMER qualquer coisa que tiver na sacola pra recuperar MORAL, desde espadas e correntes até botas e ursinhos de pelúcia, passando por ouro e principalmente medalhões. Bem esquisito, mas força o jogador a tomar decisões baseadas no que se arrependerá menos depois.

      [19h][Chapter 5][Batalha 29]
    4. Muitas e muitas reviravoltas depois, agora estamos no capítulo 7, quando um grande mal parece que surgirá sobre o reino de Fantasinia!
      Continuo sentindo falta de novas cartas e raramente conseguindo obter itens nas "micro side-quests", mas não parece estrar fazendo falta, já que seguimos avançando. O jogo parece encaminhar o jogador adiante.

      [23h][Chapter 7]

    Tabela de caretas e tags +
    Os comandos personalizados disponíveis são:
    [b] negrito [/b]
    [i] itálico [/i]
    [u] sublinhado [/u]
    [s] riscado [/s]
    [x] spoiler [/x]
    [-] bolinha indicadora de lista

    Deixe uma resposta

    Assinar comentários desta página via RSS

    Projeto Jogatina

    "That guy's a maniac. Why'd he bite me?"
    Truck Driver, Resident Evil 2
    "Jogatina para Jogadores Honestos."

    © 2018 Projeto Jogatina
    © 2018 Igreja do Famicom Invisível
    © 2018 NES Archive
    Idealizado por Pastor Cospefogo.
    Todas as marcas, jogos, personagens e produtos aqui mencionados são propriedades de seus próprios autores.
    Todos os comentários e análises são de responsabilidade de seus respectivos autores.
    O sítio Jogatina não tem nenhum vínculo ou objetivo comercial. Gamepad icons by Deleket (Jo Mendoza).
    Voltar ao topo